Aplicativo apontará quantas vezes mulheres são interrompidas por homens

Aplicativo apontará quantas vezes mulheres são interrompidas por homens

Iniciativa da agência BETC São Paulo, Woman Interrupted contabiliza interrupções em prol do empoderamento feminino e da conscientização masculina

No último ano, muito se falou sobre o fenômeno Manterrupting, um dos tipos de violência contra a mulher, considerado um comportamento machista, que se caracteriza justamente quando ela não consegue concluir sua fala por ser desnecessariamente interrompida por um homem. O tema efervesceu principalmente no período das eleições norte-americanas, quando Donald Trump interrompeu Hillary Clinton por 51 vezes, durante o primeiro debate entre os candidatos.

Inspirada nessa discussão, a agência BETC São Paulo idealizou o aplicativo Woman Interrupted, uma plataforma que contabiliza quantas vezes um homem interrompe a fala feminina. A novidade é lançada na semana em que se celebra o Dia Internacional da Mulher.

O objetivo do Woman Interrupted App é ampliar o debate em torno do Manterrupting. A novidade também visa a conscientização do público masculino, que muitas vezes não reconhece o comportamento. Em 2014, um estudo realizado por pesquisadores da Universidade George Washington (EUA), publicado no Journal of Language and Social Psychology, apontou que as mulheres são significantemente mais interrompidas do que os homens. Esse fenômeno é interpretado como uma das manifestações do desequilíbrio de gêneros

“À primeira vista, pode parecer um problema pequeno, mas que reflete questões mais profundas da desigualdade de gênero no trabalho e na sociedade. O aplicativo é uma forma de mostrarmos que, na verdade, a interrupção é real e alarmante”, comenta Gal Barradas, sócia-Fundadora e Co-CEO da BETC São Paulo e única representante no ranking dos dez publicitários mais admirados por empresas anunciantes, segundo o estudo Agency Scope, da Scopen (ex-Grupo Consultores).

Apesar de poder ser utilizado em qualquer ambiente, o Woman Interrupted foi criado pela agência pautado no mercado de trabalho, para uso em apresentações e reuniões profissionais. Para utilizá-lo, basta fazer o download gratuito nos sistemas Android e IOS e começar a usar em um dos quatro idiomas disponíveis – português, inglês, espanhol ou francês.

Para identificar as interrupções com maior precisão, a plataforma solicita que o usuário calibre e registre sua voz. O app aproveita o microfone do celular para analisar conversas e detectar o número de interrupções durante o período em que estiver ativado. Com a voz do usuário como parâmetro e a diferença na frequência de voz masculina e feminina, sua tecnologia permite identificar em que momentos a usuária foi interrompida por um homem ou, no caso de um usuário masculino, em quais momentos ele interrompeu uma mulher. O Woman Interrupted faz análises em tempo real e

transforma as interrupções em dados. Nenhuma conversa fica registrada no aplicativo, apenas o número de interrupções, duração e data.

A médio prazo, a BETC prevê o lançamento de um Dashboard Global que apresentará um overview dos dados coletados ao redor do mundo, em tempo real. Aberta a quem quiser saber mais sobre o tema, nessa plataforma poderão ser encontradas informações como número de interrupções por minuto e por país, além de comparativos entre regiões e faixa etária, por exemplo.

De acordo com Gal Barradas, o Manterrupting desvaloriza a participação feminina em reuniões e apresentações. “Nós, mulheres, lutamos diariamente para conseguirmos nosso espaço no mercado e o direito de nos expressar. Quando chegamos lá, o Manterrupting faz reduzir nossa participação”, explica. “Queremos que os homens se perguntem: será que estou fazendo isso sem perceber? Afinal, do que adianta ter mais mulheres em uma sala de reunião se ninguém escuta o que elas têm a dizer?”, completa.

Idealizadora da plataforma, a BETC é uma agência que tem a igualdade de gênero em seu DNA. Tanto a presidência da rede quanto a de seus escritórios pelo mundo - Paris, Londres e São Paulo - são co-lideradas por um homem e uma mulher, desde sua fundação. Na agência paulistana, por exemplo, o board executivo é divido igualitariamente entre homens e mulheres, bem como não há distinção salarial por gêneros que ocupam o mesmo cargo, realidade ainda pouco encontrada no mercado de trabalho brasileiro ou global.

CLIQUE E CONHEÇA O APP WOMAN INTERRUPTED

Eu vi a agência de publicidade do futuro, e ela fica em Paris!

Eu vi a agência de publicidade do futuro, e ela fica em Paris!

from www.forbes.com 

by Michael Lee

 

Muito já se escreveu, debateu e cogitou sobre o quê a agência de publicidade do futuro terá de oferecer a seus clientes e colaboradores para ser bem sucedida. Que tipo de trabalho tal agência terá de produzir; como lidar com essas novas características e quais serão as aparências e as sensações geradas por essa agência do futuro?

Eu acho que eu tive a oportunidade de dar uma espiada nisso.

Mas, primeiramente, como eu acho que a agência do futuro precisará ser?

Certamente esta agência terá de ser capaz de nos maravilhar com uma série de campanhas primorosas por ano, estabelecer uma estratégia diferenciada, conhecer profundamente o âmbito social, compreender os desejos mais íntimos dos consumidores - além de ser altamente engajada em tecnologia e viciada em análises de dados. E tudo isso só para começo de conversa.

No entanto, me parece que tal agência também terá de ser maior do que a própria ideia em si. Será necessário ter um ponto de vista, e defender algo que esteja além da publicidade. Possuir um propósito e algo do que se orgulhar. E isto é algo que as agências relutam em fazer. Preferem se esconder embaixo das saias dos clientes, e declarar que seus objetivos se limitam a produção de “peças publicitárias efetivas e criativas que venham a alavancar o negócio do cliente”.

Da mesma forma, também me parece que esta agência precisará ser capaz de atrair talentos em um mercado de talentos que está muito, mais muito mais competitivo do que nunca. As redes e agências de publicidade costumavam competir entre si pelos talentos. E hoje em dia estão competindo com nomes como Google, Facebook, Uber, Twitter, Instagram, Tesla - além de outras tech100 marcas sobre as quais ainda nem ouvimos falar. A ideia de arrasar na próxima campanha da Wheaties, Toyota ou Lysol não atrairá talentos cujas intenções sejam mudar o mundo, realizar coisas impressionantes ou fazer parte de algo maior; ah...isso sem mencionar as opções no mercado de ações.

Como uma agência de publicidade pode competir com esse quadro? Voltemos a minha espiadela.

Vamos à Paris... até uma agência chamada BETC.

Liderada por seus fundadores Rémi Babinet e Mercedes Erra, a BETC iniciou suas atividades 20 anos atrás, e conseguiu posicionar-se como a agência referência na França.

Durante esse período, eles congregaram uma carteira invejável de clientes estáveis, tais como evian, Air France, Canal+, Danone, Lacoste e Peugeot. Eles abriram escritórios em Londres e Paris. E também construíram uma reputação criativa invejável como uma das mais premiadas agências do mundo.

A BETC tem sido sempre um tipo de agência diferente. Dez anos atrás eles se mudaram para o então desprestigiado Décimo Distrito de Paris, e remodelaram uma loja de departamentos abandonada. Lançaram suas festas globais Panik com DJs convidados, e estabeleceram sua “Passage du Désir” como um ponto de encontro diário - tanto para o público, quanto para artistas -, sediando uma série de desfiles de moda de nomes de peso tais como Yohji Yamamoto, Christian Lacroix e Comme des Garçons.

Très cool.

No entanto, em 2008 a BETC começou a trabalhar em sua próxima grande cartada. Uma declaração de intenções sinalizando que a criatividade é tudo e que eles desejavam construir um tipo de agência muito diferenciada.

Eu conversei com o fundador da BETC, Rémi Babinet: “Criar, criar sempre...”, assim ele começou nossa conversa em um estilo gálico floreado. A BETC gira em torno da criatividade. Nós agimos de acordo com nosso discurso. Nós possuímos uma reputação consolidada em publicidade. Mas precisamos oferecer nossos serviços de maneiras diferenciadas. Nós precisamos ser ainda mais inovadores em nossa criatividade.”

E acrescentou: “Eu queria que a próxima BETC se sentisse como a próxima start-up, com aquela sensação de urgência e entusiasmo...a energia de 1.000 pessoas.”

A BETC descobriu um local em potencial a quatro milhas do centro de Paris em um distrito muito desprestigiado, de difícil acesso, em uma região degradada de Paris chamada Pantin. Um terreno de cinco acres: Le Magasins généraux.

Tendo um dia sido um dos símbolos da Paris industrial, o Magasins généraux foi abandonado em 2004, e desde então tem sido uma tela para grafiteiros internacionais (voltaremos à arte em grafite mais adiante).

Meffre e Marchand. (Antes)

Meffre e Marchand. (Antes)

Herve Abbadie. (Depois)

Herve Abbadie. (Depois)

O prefeito do subdistrito de Pantin estava muito determinado a desenvolver essa região. Mas do jeito certo. Ele não queria simplesmente construir mais uma dessas comunidades “cup cakes e tofu”. Ele desejava manter a cultura desta comunidade; uma cultura de classe trabalhadora, mas que ao mesmo tempo fosse fundamentada em artesania e criatividade. O prefeito almejava uma renovação completa que produzisse um impacto em escala comunitária.

Ele encontrou um aliado em Rémi Babinet.

Rémi comentava: “Arte+Negócios. A BETC é a conexão entre esses dois mundos.”

A nossa criatividade não se limita à publicidade...mas também abrange arte, talento, músicos, fotógrafos, diretores cinematográficos, gastronomia, tecnologia.”

A BETC transformou o edifício em uma impressionante sede da agência que hoje está povoada com 900 colaboradores comprometidos e entusiasmados. E este prédio também faz parte da completa renovação da comunidade de Pantin que hoje abriga a Filarmônica de Paris, o Conservatório Superior Nacional de Música e Dança de Paris - além da galeria de arte Thaddaeus Ropac. Mas não é somente o mundo das artes que está de mudança para essa região: corporações empresariais de grande porte também estão se dirigindo para lá; BNP Paribas, Chanel e Hermès – só para mencionar alguns poucos nomes de peso.

Rémi e Mercedes, conjuntamente com Stéphane Xiberras e Bertille Toledano - que compõem o time de gerenciamento da BETC Paris - vislumbraram beleza e potencial onde outros só perceberam fracasso. Demorou oito anos (quantas agências apresentam esse grau de planejamento?). Eles tiveram de lidar com uma enorme diversidade de questões - especialmente para uma agência de publicidade - mas de alguma maneira eles foram capazes de abrir os caminhos necessários.

Vincent Dessailly. Da esquerda para a direita: Stéphane Xiberras, Rémi Babinet, Bertille Toledano and Mercedes Erra.

Vincent Dessailly. Da esquerda para a direita: Stéphane Xiberras, Rémi Babinet, Bertille Toledano and Mercedes Erra.

Ao longo de 2017 a BETC desenvolverá e realizará a curadoria de projetos culturais em torno de temas como tecnologia, inovação, arte, música e arquitetura.

Eles estão construindo um restaurante e um café concerto – todos abertos ao público. A BETC POP Records, que lançou uma parceria com a Polydor (Universal’s Music Label) em 2015, está lançando e assinando contratos com novos artistas (uma banda chamada Postaal é a primeira).

“A nova BETC é um experimento de larga escala”, Rémi complementa. “Nós queríamos criar um local surpreendente, que produzisse um impacto social, que tivesse uma conexão com a comunidade e com o gabinete do subprefeito, que fosse parte de uma nova Paris - uma Paris engrandecida...e nós podemos ajudar a impulsionar esse crescimento. “Agora, na BETC, nós já vivenciamos um futuro expandido.”

Retornemos ao grafite, conforme prometido. Talvez você se pergunte: e o que aconteceu com toda aquela arte de nível internacional em grafite, aquela que cobria as paredes do edifício? Eles fizeram o oposto do que Nova Iorque fez com o 5 Pointz. Eles respeitaram todos os trabalhos que encontraram e até mesmo contrataram um curador grafiteiro para que este criasse uma magnífica edição digital além um livro de centro de mesa para a coleção.

E como isto afeta o talento?

Rémi Babinet: “A Porsche e outras montadoras de automóveis costumavam achar que competiam com outras montadoras de carros pelos talentos. Essas companhias estão agora competindo com nomes como o Google no que se refere à contratação dos melhores projetistas dos carros do futuro. E o mesmo está acontecendo conosco no mundo da publicidade. Nós estamos bem posicionados nessa briga no sentido de atrairmos os talentos que queremos e que desejamos fidelizar”.

Quantas agências no mundo podem se dar ao luxo de fazer uma declaração dessas?

Assim, a agência atrairá o tipo exato de talentos. Eu acredito que também atrairá o tipo certo de clientes (o que lhes poupará muito tempo perdido com “pitches” desnecessários e sessões de química). Serão os clientes que desejam que suas agências e suas próprias marcas possuam visões criativas e ousadas - além de consciência social autêntica e bravura comercial.

Talvez a BETC seja o protótipo para o próximo modelo de agência. Uma agência que possua um conjunto de ideais, e que aja de acordo. Que seja fundamentalmente motivada pela criatividade, e que aja de acordo. Que ame, proteja e desenvolva a criatividade nas suas mais variadas manifestações, e que aja de acordo.

Ah, e por acaso ela também é uma excelente Agência de Publicidade.

Uma que de fato possui real consciência social e age de acordo.

Talvez nós pudéssemos chamá-la de A Primeira Agência de Publicidade sustentável do mundo.

Veja a matéria original.

Mercedes Erra debate gêneros no MaxiMídia

Mercedes Erra debate gêneros no MaxiMídia

Fundadora da BETC e presidente executiva da Havas Worldwide, Mercedes Erra estará no segundo dia do MaxiMídia. Seu painel conta com a participação de Ana Theresa Borsari, diretora geral da Peugeot do Brasil, e Mauricio Ferreira, CMO Lead-Brazil da Microsoft. Mercedes irá expor quais são as mudanças necessárias sobre a questão dos gêneros dentro do mercado da comunicação.

BETC conquista dois prêmios no MaxiMídia 2016

BETC conquista dois prêmios no MaxiMídia 2016

Melhor Uso de Mídia Digital e Melhor Uso de Mídia Mobile

“SnapBlackFriday”, da BETC São Paulo para Hering
O conteúdo publicado no Snapchat some tão depressa quanto os itens com desconto na Black Friday. A partir desse insight, a Hering postou diversas combinações de roupa na conta do site Steal the Look no Snapchat. O usuário deveria fazer um screen shot da imagem para garantir o código de desconto.

Quer ver o case? Clique aqui.

BETC França inaugura nova sede

BETC França inaugura nova sede

Erh Ray e Gal Barradas marcaram presença na nova sede francesa da BETC. A agência abriga agora seus 900 colaboradores no Les Magasins généraux, um antigo armazém de farinha e grãos de 20 mil metros quadrados às margens do Canal de l’Ourcq. Trata-se de uma área cultural de Pantin, na Grande Paris, onde o interior e a capital francesa se encontram. “Atualmente os negócios de sucesso são resultado da união entre a cultura, a indústria e o empreendedorismo. Queremos que Les Magasins généraux facilite a conexão entre as mais variadas indústrias, a fim de permitir o desenvolvimento e o crescimento da experimentação e das colaborações oportunas”, disse o fundador e presidente da agência, Rémi Babinet. Ao lado de Mercedes Erra e Eric Tong Cuong, Rémi criou em 1994 a que é hoje uma das agências de publicidade líderes na Europa, graças às emblemáticas campanhas que criou para empresas como evian, Canal+, Air France, Peugeot e Lacoste. Além de Paris, a BETC opera sedes em Londres e em São Paulo, comandada por Ray e Gal. “A criatividade da BETC floresceu no cruzamento entre a cultura e os negócios. A rica arquitetura histórica de Les Magasins Généraux serve de palco para o trabalho pioneiro do futuro”, afirmou o presidente. “Tivemos que sair do tradicional centro de Paris e ir para os vibrantes subúrbios, a fim de encontrar a dinâmica e a energia de uma verdadeira cidade mundial, como Nova York, Londres ou Xangai. Les Magasins généraux é o ápice da ambição e do potencial publicitário da BETC, na qualidade de líder cultural de conteúdos e comunicações criativas e inovadoras”, concluiu Babinet.

Curaprox no Meio & Mensagem

Curaprox no Meio & Mensagem

A BETC lançou a segunda fase do projeto “The Art of Brushing”, para a marca de higiene bucal Curaprox. Três artistas trocaram pincéis por escovas, tinta por creme dental e telas por espelhos. Confira no vídeo o último lançamento, com o processo criativo da grafiteira Nina Moraes. Os espelhos pintados estão expostos aos visitantes do espaço montado pela Suíça no Rio de Janeiro para as Olimpíadas.

Gonça Correa é jurado no Effie 2016.

Gonça Correa é jurado no Effie 2016.

Nosso Diretor de Estratégia e Dados foi um dos jurados no Effie Awards Brasil. Criado há mais de 40 anos pela Effie Worldwide e presente em 39 países, Effie Awards é a única premiação internacional que consagra as grandes ideias que dão origem a estratégias de marketing e comunicação que alcançam resultados reais e tangíveis.

Rodolfo Barreto começa a dar aulas na Escola Cuca.

Rodolfo Barreto começa a dar aulas na Escola Cuca.

O segundo semestre das aulas da Cuca começou e o nosso diretor de criação foi convidado a integrar o time. Rodolfo vai falar sobre criatividade com ênfase em Redação Publicitária.

Daniel Schiavon é um dos jurados do Clio 2016

Daniel Schiavon é um dos jurados do Clio 2016

O Clio Health anuncia os jurados brasileiros que irão avaliar os trabalhos da edição de 2016 do Festival e nosso Head of Art está entre eles. A premiação acontece no fim de novembro.

Rémi Babinet é eleito um dos 10 maiores criativos do mundo pela Forbes

Rémi Babinet é eleito um dos 10 maiores criativos do mundo pela Forbes

Quem é o mais criativo na história da publicidade? Essa pergunta surgiu a revista Forbes há algumas semanas. Em meio às lendas como David Ogilvy (criador da maior agência do mundo) e Bill Bernbach (inventor incluindo o "Think Small" slogan do Beetle), está Rémi Babinet, o "B" da BETC. Em matéria para a BMF, ele fala um pouco sobre isso. 

Erh Ray é jurado no Profissionais do Ano

Erh Ray é jurado no Profissionais do Ano

Nosso co-ceo acaba de ser convidado para avaliar a criatividade da nossa propaganda na TV. O resultado sai daqui a pouquinho, mas ele adianta que viu muita coisa boa na disputa. 

"O nível das peças está ótimo. Continuamos bons nisso"

Post it War just begun, my friend

Post it War just begun, my friend

As agências de Nova Iorque que ficam em Canal Street estão travando uma batalha beeeeem divertida com desenhos feitos de post its nas janelas. A Havas está dentro da competição e nós, mesmo de longe, estamos mostrando que sabemos brincar com esses quadradinhos. Dá uma olhada.